Logo Guia de Áreas Protegidas

guia de
Áreas Protegidas

Parque Estadual Doutor Fernando Costa Água Branca

PE Doutor Fernando Costa (Água Branca)

Órgão Gestor


CPU

Categoria da Área Protegida


PU

PU - Parque Urbano

ÁREA: 1,2 hectare hectares

BACIA HIDROGRÁFICA: AT - Alto do Tietê (SP15)

No início do Século XX, em meados de 1904, o então Prefeito de São Paulo, Dr. Antônio da Silva Prado, conhecendo o caráter ainda embrionário da atividade agrícola na cidade, percebeu que estava na hora de ativar novas perspectivas no setor. A população abastecia-se de produtos hortifrutigranjeiros em chácaras periféricas, de alguns bairros residenciais da cidade, em pequenas hortas ou galinheiros, nos próprios quintais das casas. Dispondo de poucos recursos, mas já possuindo vocação e terras que ainda eram baratas, muitas pessoas poderiam se dedicar à atividade agrícola de forma profissional e ajudar a elevar a qualidade dos produtos, difundir o cultivo, aumentando assim a produção e barateando os preços. Com esta visão, o prefeito idealizou o que se chamaria de Escola Prática de Pomologia e Horticultura. O Parque Água Branca surgiu nessa época de desenvolvimento agropecuário, tornando-se, portanto, patrimônio desse setor. Criadores e fazendeiros, na década de 20, participaram de uma campanha para que São Paulo tivesse um Recinto de Exposições e um local para ser sede do antigo departamento da Secretaria da Agricultura do Estado. Em 25 de abril de 1928, o então Governador de São Paulo, Júlio Prestes, que tinha como Secretário da Agricultura o Dr. Fernando Costa, decidiu transferir as antigas dependências de Exposição Animal e de Exposições da Mooca para a Água Branca. O local foi chamado de Pavilhão de Exposição de Animais, mais tarde chamado de Parque Dr. Fernando Costa, em homenagem ao seu fundador. Mais conhecido como Parque Água Branca, o Parque Dr. Fernando Costa foi criado em 02 de junho de 1929, para ser um recinto de exposições e provas zootécnicas, onde funcionou a indústria de Produção Animal. Localizado na ainda empoeirada, Avenida Água Branca, o Parque contava na sua inauguração com várias seções como, Veterinária, Defesa Sanitária Animal, Caça e Pesca, Produção Animal, entre outras. Tanque de peixes, um pequeno Zôo, um caramanchão e até um cinema mudo formavam uma área especial para o lazer. Outra atração da época era passear a noite no Parque para admirar seus prédios de estilo Normando, iluminados, projetados por Mario Whately, e os vitrais do Portal de entrada, em estilo Art Déco, desenhados por Antônio Gomide. Durante o período de 1939 a 1942, foram adquiridos pelo governo do Estado de São Paulo, mais de 12.022,27m², totalizando assim a área atual do Parque. Em 1979, grandes exposições de gado foram definitivamente transferidas para o Recinto de Exposições da Água Funda, por motivos de modernização da área de exposições e necessidade de espaços mais amplos para a circulação dos visitantes. Em 1996, conforme Resolução SC – 25, de 11-06-96 – “O Secretário da Cultura, nos termos do artigo 1º do Decreto-Lei 149, de 15-8 do Decreto Estadual 13.426 de 16-3-79, cujos artigos de 134 e 149 permanecem em por força dos artigos 187 e 193 de Decreto Estadual 20.955, de 1-6-83, resolve: fica tombado como bem cultural, histórico, arquitetônico, turístico, tecnológico e paisagístico, o PARQUE DOUTOR FERNANDO COSTA, também tido como PARQUE ÁGUA BRANCA”, pelo CONDEPHAAT (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico, e Turístico do Estado). Em 2004, conforme Resolução Nº 17/ CONPRESP/2004, o Parque foi tombado também pelo Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo – CONPRESP. Através do Decreto nº 58.258 de 1º de agosto de 2012, o Parque foi transferido da Secretaria de Agricultura e Abastecimento para a Coordenadoria de Parques Urbanos – CPU da Secretaria de Estado do Meio Ambiente. O público frequentador é bastante diversificado. Durante a semana, o parque é frequentado por pessoas que praticam caminhadas, corridas, atividades físicas, meditação, passeios, interessadas nas diversas associações de criadores instaladas no parque e estudantes em geral. Nos fins de semana e feriados, a frequência é composta, na sua maioria, por pessoas que procuram o Parque para lazer, visitas as exposições e outros eventos.

Bioma

Mata Atlântica

Fauna

Endêmica

Trilhas

Trilha 1Trilha do Pau Brasil

Eventos

Voltagem 220

Voltagem 220

Voltagem 110

Voltagem 110

Internet

Internet

Local: Arena de eventos, Artesanal e Auditório

Programação:

INFRAESTRUTURA

Estacionamento

Estacionamento

Área para lanche

Área para lanche

Hotel

Hotel

Voltagem 220

Voltagem 220

Voltagem 110

Voltagem 110

Internet

Internet

ATRATIVOS

Playground

Playground

Lago

Lago

Roteiro Cultural

Roteiro Cultural

ATIVIDADES

ÁREAS DE PROTEÇÃO RELACIONADAS

PE Gabriel Chucre

O Parque Gabriel Chucre possui 134 mil m² de área e foi...

PE Cantareira – Núcleo Águas Claras

O Parque Estadual da Cantareira é uma Unidade de Conservação de proteção...

PE Guarapiranga

O Parque ecológico da Guarapiranga foi inaugurado pela Secretaria do Meio Ambiente...

APA Várzea do Tiête

O Rio Tietê, nasce no município de Salesópolis, percorre por aproximadamente 1.100...

RB Alto da Serra de Paranapiacaba

A palavra Paranapiacaba tem origem indígena e significa “lugar de onde se...

PE Cantareira – Núcleo Cabuçu

O Parque Estadual da Cantareira é uma Unidade de Conservação de proteção...