Logo da UC

PE Furnas do Bom Jesus

PE Furnas do Bom Jesus

Órgão Gestor


FF

Categoria da Área Protegida


PE

Parque Estadual

ÁREA: 2.069,0600 hectares

BACIA HIDROGRÁFICA: 08 - SAPUCAÍ/GRANDE

O Parque Estadual Furnas do Bom Jesus é classificado como uma Unidade de Conservação de Proteção Integral, a qual tem como objetivo a preservação dos ecossistemas, das espécies vegetais e animais e seus habitats, dos sítios geomorfológicos e proteção das paisagens naturais. A unidade é aberta a pesquisa científica, visitação e ao lazer público.
Historicamente, o local começou a despertar o interesse de um grupo de ambientalistas em meados da década de 1980, que promoviam reuniões e participavam de movimentos regionais com o objetivo de discutir e divulgar a temática ambiental, além de reivindicar a necessidade de proteção das áreas de grande relevância regional. O vale do córrego Bom Jesus por apresentar relevo de morros arredondados, encostas escarpadas, com feições topográficas de grande beleza cênica e valiosa rede hidrográfica com a formação de cachoeiras e vegetação de transição entre Cerrado e Mata Atlântica, era uma área de grande reivindicação do grupo para categorizar-se como área de preservação ambiental.
Dessa forma, em 12 de outubro de 1989, por meio do decreto 30.591 foi criado o Parque Estadual Furnas do Bom Jesus, com uma área de 2.069,06 hectares, contando com a desapropriação de 38 propriedades por meio do Decreto 31.644, de 31 de maio de 1990. Em sua maior porção eram desenvolvidas atividades de cultivo do café, criação extensiva de gado e culturas agrícolas para subsistência. O início das atividades de gestão se iniciou em 14 de março de 1991, data considerada como comemorativa ao aniversário da U.C.
O parque recebeu ao longo de sua história diversas pesquisas científicas, visitação pública, programas de educação ambiental, projetos de restauração florestal e atividades de manejo de gado entre os anos de 1996 a 2000 para contribuição da restauração ecológica em decorrência de grave incêndio no ano de 1994.
O parque possui 4 cachoeiras disponíveis para visitação, 2 plataformas de observação, 3 trilhas de curta a média distância, Centro de Vivência Ambiental e arboreto para piquenique.
O principal atrativo da unidade é a cachoeira Cascata Grande, maior salto em queda livre do Estado de São Paulo com 124,2 metros de altura, que despenca de um paredão rochoso em local de difícil acesso, o qual não é permitido a presença de visitantes devido aos riscos existentes.
No parque foram avistados e soltos diversos animais silvestres, dentre eles: suçuarana ou onça-parda, lobo-guará, jaguatirica, cateto, quati, ouriço, tamanduá-bandeira, tamanduá-mirim, mutum-de-penacho, periquitos, guaxé, japu, soldadinho e outros. Entre as espécies arbóreas presentes, podemos citar: ipês amarelos e rosas, lobeiras, jacarandás, canafístulas, cedros-rosa, barbatimões, copaíbas e outras espécies típicas de cerrado e floresta estacional semidecidual.

Bioma

Cerrado, Mata Atlântica

Trilhas

INFRAESTRUTURA

Centro de Visitantes

Centro de Visitantes

Sanitário Feminino

Sanitário Feminino

Sanitário Masculino

Sanitário Masculino

Voltagem 110

Voltagem 110

Internet

Internet

Hospedagem

Hospedagem

Área Para Lanche

Área Para Lanche

Bebedouro

Bebedouro

ATRATIVOS

Rio (para contemplação)

Rio (para contemplação)

Represa (para contemplação)

Represa (para contemplação)

Mirante / Permitido Fotografar

Mirante / Permitido Fotografar

Cachoeira

Cachoeira

Vista Panorâmica

Vista Panorâmica

Trilha

Trilha

ATIVIDADES

Observação de Fauna

Observação de Fauna

Observação de Flora

Observação de Flora

Observação de Aves

Observação de Aves