Logo da UC

PE Itinguçu - Núcleo Arpoador

PE Itinguçu - Núcleo Arpoador

Órgão Gestor


FF

Categoria da Área Protegida


PE

Parque Estadual

ÁREA: 5.040,000 hectares

BACIA HIDROGRÁFICA:

O Parque Estadual do Itinguçu, está localizado a 10 km do centro de Peruíbe, dentro dos limites do Mosaico de Unidades de Conservação de Juréia-Itatins, a unidade de conservação é composta pelo estuário do Rio Guaraú, pelas Praias do Guarauzinho, Arpoador, Parnapuã, Brava, Juquiazinho e pelos bairros do Tetequera, Barro Branco, Tocaia, Itinguinha e Itinguçu. O Núcleo Arpoador, implantado em 1989, sempre foi referência em atividades de estudo do meio biofísico com grupos organizados, apresenta vários ecossistemas associados de Mata Atlântica, tais como, praias, costões rochosos, mata de encosta, estuário do rio Guaraú com uma significativa porção de manguezal, bem como, cachoeiras e rios que formam esse ambiente. O Arpoador ainda dispõe de uma sede administrativa, alojamento para 40 pessoas e um centro de visitantes com sala de exposição e auditório, onde o Estado tem o domínio da área. A região sempre foi ocupada por população tradicional caiçara, concentradas nas praias dessa região, tendo como subsistência a pesca, agricultura de pequena escala e o ecoturismo. O Núcleo Itinguçu está localizado a 18 km de Peruíbe, possui área de aproximadamente 994 ha, no perímetro do município de Iguape, com acesso por Peruíbe. A região foi ocupada desde os anos 60, onde os moradores desenvolveram atividades agrícolas até o inicio de 1990, o principal atrativo da região é a Cachoeira do Paraíso, formada pelo Rio Itinguçu que apresenta um degrau de 17 metros com inclinação de 60 graus, sendo um afloramento gnáissico erodido numa altitude de 35 metros acima do nível do mar, com varias piscinas naturais e uma trilha de aproximadamente 500 metros. O Núcleo conta com um centro de visitantes com sala de exposição e auditório, sanitário público e um viveiro de mudas de espécies nativas, o estado também tem o dominio das terras. As atividades de uso público podem ser desenvolvidas nas UC de Proteção Integral de acordo com o que dispõe o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza – SNUC. O regulamento de Parques Estaduais Paulistas e a Resolução SMA 59/2008 tratam sobre os procedimentos administrativos de gestão e fiscalização do uso público. A regulamentação do uso público deverá seguir as diretrizes do Plano de Manejo da própria UC, através de seu Plano de Uso Público. Para aquelas que não possuem Plano de Manejo aprovado, é necessário que a atividade seja norteada pelo Plano Emergencial de Uso Público. O Plano Emergencial de Uso Público é um instrumento de caráter provisório com validade de dois anos, para as UC com atividades consolidadas de visitação pública e sem Plano de Manejo aprovado, regulamenta o uso público, devendo ser elaborado a partir de roteiro estabelecido pela Portaria Normativa F.F n° 73/2009, conforme disposto no artigo 4°, o Conselho Consultivo da Unidade de Conservação deverá se manifestar sobre a proposta de Plano Emergencial de Uso Público.

Bioma

Mata Atlântica

Trilhas

INFRAESTRUTURA

Centro de Visitantes

Centro de Visitantes

Estacionamento

Estacionamento

Sanitário Feminino

Sanitário Feminino

Sanitário Masculino

Sanitário Masculino

Hospedagem para Pesquisador

Hospedagem para Pesquisador

Voltagem 110

Voltagem 110

Portaria / Base Fiscalização

Portaria / Base Fiscalização

Sistema de Som

Sistema de Som

Sistema de Imagem

Sistema de Imagem

ATRATIVOS

Rio (para contemplação)

Rio (para contemplação)

Cachoeira

Cachoeira

Praia

Praia

Costão Rochoso

Costão Rochoso

Roteiro Cultural

Roteiro Cultural

ATIVIDADES

Permitido Nadar

Permitido Nadar

Área para Surf

Área para Surf

Permitido Bicicleta

Permitido Bicicleta

Observação de Aves

Observação de Aves

Observação de Fauna

Observação de Fauna

Observação de Flora

Observação de Flora

Montanhismo

Montanhismo